Um sistema amigável?

Caro(a) Leitor(a),

Se você nunca experimentou o GNU/Linux, talvez já tenha se perguntado se esse sistema pode ser amigável. Então vamos falar sobre isso.

É perfeitamente normal que um leigo no assunto logo se preocupe com a interface de linha de comando. Afinal de contas, nesta interface da “tela preta” não é possível reproduzir vídeos, visualizar imagens, rodar a maioria dos jogos, abrir planilhas ou apresentações, entre muitos outros recursos comuns no dia-a-dia da maior parte dos usuários de computador.

Por mais útil e importante que seja a interface de linha de comando, ela é um recurso adequado somente para usuários mais experientes, que a conhecem bem. Para usuários novatos existe não apenas uma, mas várias interfaces gráficas diferentes. Cabe a você escolher qual interface utilizar. Essas interfaces facilitam a sua interação com o sistema, fazendo com que ela seja mais agradável.

Para entender melhor o que é uma interface gráfica, veja a imagem abaixo:

Representação da interface gráfica

O kernel (núcleo do sistema, ou seja, o Linux) gerencia todos os recursos da máquina, deixando o computador em pleno funcionamento. A camada do meio (Shell) interpreta os comandos utilizados no terminal de linha de comandos. A camada mais externa é a interface gráfica, que na TI é comumente chamada de Graphical User Interface (GUI). Com ela você pode interagir com o sistema sem precisar digitar os comandos do Shell.

Cada distribuição do GNU/Linux tem sua interface gráfica padrão, que é instalada junto com o sistema, logo a escolha da interface gráfica geralmente tem forte influência na escolha da distro a ser usada.

Existem muitas interfaces para GNU/Linux, mas duas delas merecem um destaque especial: GNOME e KDE. Essas são interfaces bem antigas e evoluíram bastante com o tempo. Naturalmente elas adquiriram muitos recursos e com isso foram ficando mais exigentes com o hardware em suas últimas versões, o que abriu espaço para outras interfaces mais leves, como XFCE e LXDE, hoje também amplamente utilizadas. Se você está tentando decidir qual interface gráfica usar, minha sugestão é: use aquela na qual você se sente mais à vontade, porque na prática todas elas podem te atender, a menos que você esteja tentando usar uma interface muito pesada para o hardware disponível.

A forma mais plena de se conhecer uma interface é usando, mas ver imagens ou vídeos referentes a essas interfaces gráficas já dá uma boa noção de como elas são. Também sugiro que visite os sites de cada uma delas, que terão informações atualizadas.

Em resumo, graças aos ambientes gráficos disponíveis hoje, o GNU/Linux pode sim ser um sistema amigável.

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s